sábado, maio 28O Piauí se conecta aqui!

Prefeitura aciona Justiça para circular 70% da frota de ônibus em Teresina

A Procuradoria Geral do Município acionou a Justiça Trabalhista para que empresários, motoristas e cobradores circulem com 70% da frota de ônibus em Teresina no horário de pico.

Os motoristas e cobradores iniciaram greve desde a zero hora de hoje com 100% da frota paralisada.

A prefeitura pede que o Sindicato respeite os 70% da frota no horário de pico e 30% no entrepico.  

Hoje, às 12h, o major Cláudio Pessoa, superintendente da Strans (Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito) convocou coletiva na sede da Strans para anunciar as providências da prefeitura.

Na última reunião de sexta-feira, entre empresários e motoristas, a Strans fez uma proposta de repassar R$ 800 mil para o Setut para os gastos trabalhistas e de combustíveis. A proposta não foi aceita. 

O prefeito Dr. Pessoa (MDB) comentou sobre a greve deflagrada por motoristas e cobradores nesta segunda-feira (21) em Teresina. O prefeito classificou a crise no transporte da capital como um “câncer enraizado”, que teria sido provocado por ações de empresários e gestões passadas.   

“É prioridade de o prefeito resolver esse problema do transporte coletivo. O câncer em fase inicial você pode extirpar, 95% é tratável, mas quando está enraizado, é o contrário, 95% ou mais tem que ir para a quimioterapia. Nós pegamos [o transporte público] já com ramificações, o câncer que está aí conduzido pela administração anterior e conduzido pelos empresários sem almas”, declarou o prefeito. 

Dr. Pessoa, que realizou uma visita junto ao governador Wellington Dias (PT) em obras de asfaltamento na Avenida Zequinha Freire disse também que a administração municipal está aberta a receber ajuda do governo do estado. 

A greve de motoristas e cobradores do transporte público da capital teve início a partir da meia-noite desta madrugada.  

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Em Empresas de Transportes Rodoviários do Piauí (Sintetro), Antônio Cardoso, tem dito que a paralisação é por tempo indeterminado e a previsão é de que nenhum ônibus da frota veicule na cidade até que as reivindicações da categoria sejam atendidas. 

A categoria quer que os empresários ligados ao transporte público assinem a convenção coletiva, que está há três anos sem ser firmada, com reposição salarial e o retorno de benefícios como o plano de saúde e tíquete de alimentação.

Como resposta a Prefeitura de Teresina anunciou nesta manhã que cadastrou 250 veículos alternativos para atuarem durante a greve do transporte coletivo na capital.

Já a Superintendência Municipal de Transporte (Strans) informou ainda que está implantando o projeto de táxi lotação, onde 2 mil veículos devem ser cadastrados.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments