terça-feira, setembro 21O Piauí se conecta aqui!

Polícia Civil prende empresário acusado de aplicar o “Golpe do Boleto”

Os policiais da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática da Polícia Civil do Piauí prenderam um empresário identificado como Pedro Veloso Nogueira Neto, acusado de estelionato e associação criminosa, na modalidade golpe do boleto – bolware. O caso ocorreu nessa sexta-feira (06), em Teresina, dentro de uma agência bancária, mas só foi divulgado pela polícia nesta segunda-feira (09).

De acordo com a Polícia Civil, a prisão do acusado ocorreu quando o empresário estava realizando a movimentação de aproximadamente R$ 166 mil obtidos com o golpe.

A investigação policial constatou que Pedro Veloso Nogueira Neto conseguia invadir o sistema de uma das empresas vítimas do golpe e, dessa forma, passava a enviar boletos com endereço errado a clientes dessa empresa. Após receber o boleto, os clientes realizavam pagamento, levados a erro pela fraude. O dinheiro percorria um caminho no sistema financeiro nacional e era levantado a partir da conta do empresário preso pela Polícia Civil, como explicou o delegado Francírio Queiroz.

“Nossos policiais vinham analisando os boletins de ocorrência relacionados a esse tipo de golpe e conseguiram elucidar o modo de atuação criminoso, culminando com a prisão na sexta-feira e bloqueio de parte do valor do dinheiro das vítimas. Somente o CNPJ do investigado preso gerou mais de R$ 2 milhões em uma única instituição financeira, demonstrando o potencial lesivo da associação criminosa”, explicou.

O delegado titular da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática ressaltou que várias empresas têm sido vítimas do golpe do boleto e alertou para verificações de praxe, que podem diminuir as chances de se cair no golpe.

“Várias empresas têm sido vítimas de golpes online, especialmente, porque possuem maior disponibilidade de valores em suas contas. Esse é um crime que pode ser cometido à distância, e muitas vezes o autor se esconde atrás de identidades falsas. É necessário que o mercado seja cada vez mais criterioso quanto a regras de segurança para realização de transações online, bem como que as pessoas tenham bastante atenção em seus pagamentos e negociações”, informa ao Delegado Anchieta Nery titular da DRCI – Delegacia de Repressão a Crimes de Informática.

Figuram como vítimas no inquérito policial grandes empresas com sede em Teresina e no interior do Estado. O empresário foi autuado em flagrante e o Poder Judiciário converteu a prisão dele em preventiva.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments