segunda-feira, dezembro 6O Piauí se conecta aqui!

Nossa Teresina

Sem mar, sem praia, quente, sem grandes teatros, poucos pontos turísticos, terra de “poucas atrações”, que levam tantos da tua terra a te deixar, mas que traz tantos a te amar.

Óh minha terra querida, quanto te amo, quanto vale ressaltar aquele clichê, “terra quente e acolhedora”, pelo amor de tantos teresinenses, como queria te conhecer em outros tempos…

No balanço da vida, que tanto nos leva a buscar algo melhor, vida, salário, estabilidade, sustentabilidade, segurança, saúde e assim vai…

Somos tentados a te abandonar, abandonar o nosso povo, a nossa gente, as nossas raízes, somos tentados a sermos covardes e não lutar pela tua melhora, pelo teu crescimento, há como somos tentados…

Os mais velhos falam de ti emocionados, de quando era mais nova, e tinha-se mais segurança, mais amor, mais bondade nos corações dos que te habitam, onde todos se falavam, onde tinha -se namoros nas praças, Saraiva, João Luiz, Pedro II, onde todos se ajudavam, onde todos te amavam…

Hoje somos tomados pela banalização do mundo contemporâneo, com esse sentimento de revolta, mas cheio de esperança, é que te amo e sempre amarei.
Ai, troca, quem troca destroca, minha Teresina não troco jamais.

Nunca te deixaremos, existiram sempre àqueles exemplos patriotas, que nunca te deixaram, por amor, pela esperança, por tudo que nos atraí em ti, e existiram ainda aqueles que chegaram e nunca mais te deixaram pelo teu sabor e pelo teu esplendor minha terra querida.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments