domingo, maio 29O Piauí se conecta aqui!

Líderes europeus vão anunciar pacote de sanções mais duras à Rússia

No início da tarde desta quinta-feira (24/2), o chefe da delegação da União Europeia (UE) no Brasil, Ignácio Ibañez, fez um pronunciamento sobre a escalada dos ataques russos à Ucrânia, que tiveram início no início na manhã desta quinta, e prestou solidariedade ao país do leste europeu.

Em frente à embaixada da Ucrânia, localizada na QI 5 do Lago Sul, também informou que os líderes dos conselhos europeus vão se reunir, às 16h do horário de Brasília, para avaliar a situação dos ataques e que podem anunciar um novo pacote de sanções mais fortes à Rússia após o encontro.

Segundo o representante europeu, a UE já adotou uma série de sanções em retaliação à investida russa no leste europeu.

“A UE adotou um pacote de sanções individuais contra pessoas que tem contribuído com este reconhecimento [militar russo]. Também baixou restrições contra entidades, sobretudo do setor financeiro ─ bancos e entidades financeiras estão proibidas de operar no mercado financeiro”, informa.

O comunicado de Ibañez foi confirmado pelo presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky. Ele discutiu com a União Europeia, um novo pacote de sanções à Rússia. Segundo o líder do Executivo ucraniano, todos os detalhes foram acertados com o presidente francês, Emmanuel Macron. Ele demanda que a “desconexão” da Rússia com a Swift (órgão que processa transações financeira entre países) seja “rápida”, que seja introduzida uma zona “sem-voo” sobre a Ucrânia e outras medidas “efetivas” que possam parar o país agressor.

Ainda durante o breve comunicado, Ibañez também manifestou solidariedade à Ucrânia e reforçou que e UE está se aproximando de parceiros internacionais em busca de apoio. “Também estamos nos aproximando de nossos parceiros, como os EUA, e queremos fazer isso também com o Brasil. O país é membro do conselho de Segurança da ONU e esperamos também dele uma resposta nesta mesma direção”, admite.

“A UE está fazendo um chamado urgente, claro e forte para a Rússia retirar suas forças militares da região e deixar de atacar a Ucrânia. Esperamos que as decisões que a UE e outros parceiros internacionais irão adotar sirvam para que o país russo volte atrás e não siga nesta linha de ataque”, declara.

Ataques Russos
A Ucrânia afirma ter sofrido ao menos 203 ataques russos desde o início da invasão, na manhã desta quinta-feira (24/2). As informações foram divulgadas pelo Ministério de Defesa do país. As autoridades de segurança ucranianas garantem que há combates em quase todo o território e que os confrontos militares são intensos. No início da manhã, soldados russos teriam sido feitos prisioneiros.

Rompimento de relações entre os dois países

Ainda na manhã desta quinta, o ministro de relações exteriores ucraniano reforçou que o presidente russo, Vladimir Putin, colocou a Europa em seu momento mais “obscuro” desde 1939. E pede ajuda financeira e militar para a Ucrânia. Os dois países também cortaram relações diplomáticas.

Right now, Putin is plunging Europe into its darkest time since 1939. Any government hoping to sit this out is naïve. Don’t repeat mistakes of the past. Hit Russia with severe sanctions now. Help Ukraine with military and financial support. Together we can #StopRussianAggression.

— Dmytro Kuleba (@DmytroKuleba) February 24, 2022

Horas após o início das operações militares no leste da Ucrânia, determinadas pelo presidente russo, Vladimir Putin, uma segunda onda de mísseis, de acordo com um assessor próximo o mandatário ucraniano, Volodymyr Zelensky, teria atingido a Ucrânia. O governo ucraniano fala em oito mortos e diz que está respondendo aos ataques. Afirmou que 50 soldados russos foram mortos nos combates e seis aviões acabaram derrubados.

O Itamaraty se manifestou, no fim da manhã desta quinta-feira (24/2), sobre a invasão russa à Ucrânia. Segundo o comunicado, o Brasil acompanha “com grave preocupação” a deflagração das operações militares pela Rússia contra o país vizinho e pede “suspensão imediata das hostilidades” na região. Veja comunicado na íntegra:

Ministério das Relações Exteriores
Departamento de Comunicação Social

Nota nº 30
24 de fevereiro de 2022

Situação na Ucrânia

O Governo brasileiro acompanha com grave preocupação a deflagração de operações militares pela Federação da Rússia contra alvos no território da Ucrânia.

O Brasil apela à suspensão imediata das hostilidades e ao início de negociações conducentes a uma solução diplomática para a questão, com base nos Acordos de Minsk e que leve em conta os legítimos interesses de segurança de todas as partes envolvidas e a proteção da população civil.

Como membro do Conselho de Segurança das Nações Unidas, o Brasil permanece engajado nas discussões multilaterais com vistas a uma solução pacífica, em linha com a tradição diplomática brasileira e na defesa de soluções orientadas pela Carta das Nações Unidas e pelo direito internacional, sobretudo os princípios da não intervenção, da soberania e integridade territorial dos Estados e da solução pacífica das controvérsias.

Nota nº 31
24 de fevereiro de 2022

Brasileiros na Ucrânia

A Embaixada do Brasil em Kiev permanece aberta e dedicada, com prioridade, desde o agravamento das tensões, à proteção dos cerca de 500 cidadãos brasileiros na Ucrânia. A Embaixada vem renovando o cadastramento dos brasileiros e tem-lhes transmitido orientações, por meio de mensagens em seu site (kiev.itamaraty.gov.br), em sua página no Facebook (https://www.facebook.com/Brasil.Ukraine) e em grupo do aplicativo Telegram (https://t.me/s/embaixadabrasilkiev).

Solicita-se aos cidadãos brasileiros em território ucraniano, em particular aos que se encontrem no leste do país e outras regiões em condições de conflito, que mantenham contato diário com a Embaixada. Caso necessitem de auxílio para deixar a Ucrânia, devem seguir as orientações da Embaixada e, no caso dos residentes no leste, deslocar-se para Kiev assim que as condições de segurança o permitam.

O Itamaraty disponibiliza, ainda, para casos de emergência consular de brasileiros na Ucrânia e seus familiares, o número de telefone de plantão consular +55 61 98260-0610.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments