domingo, outubro 17O Piauí se conecta aqui!

Fernanda Gentil diz que tem melhorado lado ciumento e se declara a esposa: ‘Quem mais quero fazer feliz’

Fernanda Gentil define a rotina como um verdadeiro zigue-zague. E, assim como seu novo programa na TV Globo, daqueles bem deliciosos. “A única parte que gosto de ter rotina é para quebrá-la”, diz. A apresentadora, de 34 anos, vive tentando equilibrar todas as suas facetas, como profissional, mãe e esposa.

— Sou uma mãe real. Tenho o momento do videogame, mas também o de chamar a atenção. O Gabriel (de 4 anos), por exemplo, me acha brava, diz que eu falo muito sério. E jogo aberto. Não fico tanto tempo em casa como gostaria, mas eles sabem o motivo. No início, sentia culpa, hoje, com muita terapia e conversa, não mais. Explico que as coisas não caem do céu e que espero que eles tenham a oportunidade de trabalharem no futuro com aquilo que amam, assim como eu. Compenso a falta de quantidade de tempo, com qualidade. Quando estamos juntos, é de corpo e alma. Nessa semana de gravações do “Zig zag arena”, que cheguei dez da noite em casa, pedi para me esperarem para eu colocar para dormir. Ou para fazermos embaixadinha na quadra. Isso tem me ajudado. Afinal, ninguém aqui é de família rica, não tem herança, temos que ralar (risos).

Conhecida nos bastidores por vestir a camisa dos projetos que assume, a loira garante que se entrega, mas nada de ser classificada como workaholic. Afinal, a família é sua maior prioridade.

— Sou workaholic em desconstrução. Sou trabalho futebol clube em qualquer projeto que esteja, me envolvo, chego cedo, escrevo, gosto de sugerir e ouvir, não estou ali só para apresentar. E tento não levar trabalho para casa. Quando era mais nova, realmente deixava isso ocupar boa parte da minha vida. Hoje, minhas prioridades são diferentes. A vida começa quando passo da catraca da Globo. Gosto de colocar criança para dormir, jogar bola, tomar um vinho com a Priscila (a esposa). Trabalho é um dos pilares da minha vida, mas não é o principal.

Falando na esposa, é quando pensa nela e na relação, que a jornalista costuma destacar os pontos que precisa melhorar. Isso não tem nada a ver com uma relação ruim, mas é o sinal de carinho de uma mulher para quem ela realmente ama.

— Sou muito cabeça dura, orgulhosa, ciumenta… Esse último já melhorei muito (risos). Falando de relacionamento, casamento, eu queria ser “mais de boa”. Sou muito feliz com a mãe, a amiga, a profissional que sou. Mas quero ser uma pessoa cada vez melhor para a Priscila, que é quem eu mais quero fazer feliz e esta junto por muito tempo.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments