terça-feira, setembro 21O Piauí se conecta aqui!

Dr. Pessoa apresenta proposta para o transporte e dá para resposta de empresários

O prefeito Doutor Pessoa (MDB) apresentou a proposta para chegar a um consenso com os empresários do setor de transporte público. Segundo o prefeito, a proposta da prefeitura passa por:  

  • Discussão sobre pagamento dos subsídios relativos ao ano de 2021
  • Auditoria para discutir o valor cobrado pelos empresários relativo a anos anteriores 
  • Controle da bilhetagem eletrônica por parte da prefeitura
  • Retorno da circulação da frota prevista na ordem de serviço
  • Obediência da vida média dos ônibus em circulação
  • Revisão do valor da tarifa 
  • Efetivo funcionamento do sistema de integração
  • Respeito à quantidade de ônibus em circulação
  • Gratuidade para estudantes do ensino fundamental (rede pública e privada)
  • Ônibus com ar-condicionado e Wi Fi 

“Essas questões colocadas não serão implantadas do dia para a noite, mas demos 48 horas para que os empresários possam responder a Prefeitura. Com a resposta positiva, esperamos que os ônibus possam voltar a uma normalidade relativa a partir de segunda”, disse. 

O prefeito não esclareceu os pontos da proposta dos empresários, mas fez críticas. “Os empresários apresentaram uma proposta desnutrida, frágil, é praticamente a mesma coisa que acontece há 40 anos. Por isso, a prefeitura apresenta essa proposta e espera um retorno. Se a reposta for negativa, temos um plano B, mas só vou falar o que será o plano B quando os empresários responderem”, ressaltou Dr. Pessoa.

O secretário de Finanças, Roberta Rios, diz que a prefeitura não tem nenhum acordo com o Setut. Ele destaca que já há um plano “B” caso os empresários não aceitem a proposta. 

“A prefeitura retoma a bilhetagem eletrônica que estava sequestrada pelo Setut. Não  temos nenhum contrato de 2015 e nem com Setut. O Setut é um estranho ao contratos. Estamos conversando. O prefeito fez a proposta. Se aceitar esta resolvido. Se não  aceitar a proposta a imprensa será  convocada para saber o plano B do prefeito”, afirmou.

Robert destacou que apesar do acordo, as suportas irregularidades apontadas pela CPI dos Transportes, devem ser investigadas. 

“Aquilo que foi apurado pela CPI é de tamanha gravidade. Não vamos transformar a prefeitura em delegacia de polícia, nem em Ministério Público.  A CPI encaminha para o Ministério Público e as providências da CPI para o Ministério Público  tomar.  O que a prefeitura é responsável  é para corrigir as distorções do transporte público.  Queremos transporte na rua com Wifi e ar condicionado. A prefeitura  vai ajudar no que for possível”, destacou.

O secretário de Planejamento, João Henrique Sousa, afirma que a prefeitura e o estado devem arcar com o valor de R$ 1 milhão por mês para garantir a gratuidade dos alunos da rede fundamental. 

“O que a prefeitura pretende, dividido com estado, é pagar a gratuidade dos estudantes do ensino fundamental. Isso daria,  se eventualmente o acordo fosse nesse rumo, em torno de R$ 1 milhão por mês. Entra tanto estudante da rede pública como particular. Isso é uma lei. Ninguém está inventando a roda. A lei diz para o estudante ter o abatimento. Não interessa de onde vem. A pretensão  é que a maior parte desses estudantes seria mais ou menos metade metade, município e estado. Portanto, o próprio governador se comprometeu de que o estado arcaria com a metade dos recursos que eventualmente fossem necessários”, disse.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments