PGR denuncia Witzel, mulher e outras 10 pessoas por organização criminosa

BRASÍLIA (Reuters) – A Procuradoria-Geral da República denunciou ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) o governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), a esposa dele, Helena Witzel, e outras dez pessoas por organização criminosa, informou a assessoria de imprensa do órgão em nota nesta segunda-feira.

A subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo, responsável pela acusação, disse que o grupo atuou nos mesmos moldes existentes em relação às demais organizações criminosas que envolveram os últimos dois ex-governadores, na estruturação e divisão de tarefas em quatro núcleos básicos: econômico, administrativo, financeiro-operacional e político.

Lindôra pede a condenação dos envolvidos e a perda dos cargos públicos, em especial de Witzel. Cobra ainda indenização mínima de 100 milhões de reais dos envolvidos.

A acusação criminal citou, com base no que são consideradas provas de três operações, que as atividades do grupo começaram em 2017, com a cooptação de Witzel para concorrer ao governo, que recebeu, ainda quando era juiz federal, quase 1 milhão reais indevidamente.

Essa a segunda acusação criminal contra Witzel. A primeira foi divulgada em 28 de agosto, dia em que foi afastado do cargo.

Witzel criticou o que chamou de vazamento de processo sigiloso para atingi-lo politicamente e voltou a negar qualquer irregularidade.

Fonte: Reuters Brasil – EBC