Morre o senador Major Olimpio, vítima de Covid-19

Morreu nesta quinta-feira o senador Major Olimpio (PSL-SP), o terceiro senador vítima fatal da doença. Antes dele, Arolde de Olveira (PSD-RJ) e José Maranhão (MDB-PB) haviam falecido em decorrência de coronavirus. Olimpio foi internado no último dia 2 e intubado quatro dias depois. Além dele, quatro assessores de seu gabinete foram diagnosticados com a doença.

Por conta da morte, o presidente Jair Bolsonaro cancelou a ida ao Congresso que estava prevista para hoje.

“Com muita dor no coração, comunicamos a morte cerebral do grande pai, irmão e amigo, senador Major Olimpio. Por lei a família terá que aguardar 12 horas para confirmação do óbito e está verificando quais órgãos serão doados. Obrigado por tudo que fez por nós, pelo nosso Brasil”, escreveu uma pessoa próxima a Olimpio na conta oficial do senador.

Major Olímpio tinha 58 anos e foi intubado pela primeira vez no último dia 6. Antes disso, na sessão que votou a PEC Emergencial, ele chegou a participar de uma sessão do Senado, fazendo uma transmissão por vídeo diretamente de um leito hospitalar. Ele estava com a respiração ofegante e, por conta da queda do sinal, não conseguiu concluir o discurso.

A Frente Parlamentar de Segurança Pública e o ex-presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), manifesteram pesar por meio de nota.

“Muito triste com a partida do senador Major Olímpio (PSL-SP), nesta quinta-feira (18), em São Paulo. Político combativo, lutou contra a Covid até o último suspiro. Foi deputado estadual por dois mandatos, deputado federal e representava o estado de São Paulo no Senado Federal. Honesto e firme, Olímpio tinha sonhos e bandeiras. Um homem de convicções fortes e de bom coração. Perde a política brasileira e todos nós, que ficamos mais pobres e mais tristes”, escreveu Alcolumbre em uma rede social.

Também senadores, Arolde de Oliveira e José Maranhão também morreram em decorrência de Covid-19. Arolde faleceu em 21 de outubro so ano passado, e José Maranhão morreu em 8 de fevereiro deste ano.

Olimpio rompeu com presidente

Major Olimpio foi eleito com 9.039.717 votos, tendo recebido 25% do total das preferências para o Senado de São Paulo. Na ocasião, ele disputou o pleito se associando ao presidente Jair Bolsonaro, que, à época, também integrava o PSL. No racha de Bolsonaro com o presidente nacional da legenda, Luciano Bivar (PE), no entanto, Olimpio rompeu com o chefe do Poder Executivo.

Com a ruptura, Olimpio havia se tornado um dos opositores mais ácidos a Bolsonaro no parlamento, fazendo duras críticas ao presidente e a seus três filhos que estão na vida política: o também senador Flávio (Republicanos-RJ), o deputado Eduardo (PSL-SP) e o vereador do Rio Carlos (Republicanos).

Fonte: Extra.globo