Brasil tem a semana mais letal da pandemia e bate recorde de média móvel de óbitos pelo oitavo dia consecutivo

O Brasil completa neste sábado a semana mais letal da pandemia, com mais de 10 mil mortos pela doença nos últimos sete dias — foram 10.183 vítimas. Também neste sábado o país bateu, pelo oitavo dia consecutivo, o recorde de média móvel de mortes: 1.455. O cálculo é 40% maior do que o registrado duas semanas atrás. Nas últimas 24h, o país contabilizou 1.498 óbitos, elevando para 264.446 o total de vidas perdidas para o novo coronavírus.

Os dez dias com maior média móvel de mortes por Covid-19 no Brasil:

  • 06/03/2021 com média de 1.455 mortes
  • 05/03/2021 com média de 1.423 mortes
  • 04/03/2021 com média de 1.361 mortes
  • 03/03/2021 com média de 1.332 mortes
  • 02/03/2021 com média de 1.274 mortes
  • 01/03/2021 com média de 1.223 mortes
  • 28/02/2021 com média de 1.208 mortes
  • 27/02/2021 com média de 1.180 mortes
  • 25/02/2021 com média de 1.150 mortes
  • 26/02/2021 com média de 1.148 mortes

Desde as 20h de sexta-feira, foram 67.477 novos contágios notificados pelas secretarias de saúde, totalizando 10.939.320 infectados pelo Sars-CoV-2. A média móvel foi de 61.527 diagnósticos positivos, 29% maior do que o cálculo de 14 dias atrás.

A “média móvel de 7 dias” faz uma média entre o número do dia e dos seis anteriores. Ela é comparada com média de duas semanas atrás para indicar se há tendência de alta, estabilidade ou queda dos casos ou das mortes. O cálculo é um recurso estatístico para conseguir enxergar a tendência dos dados abafando o ruído” causado pelos finais de semana, quando a notificação de mortes se reduz por escassez de funcionários em plantão.

Vinte estados atualizaram seus dados sobre vacinação contra a Covid-19 neste sábado, totalizando 8.135.403 imunizados coma primeira dose, o equivalente a 3,84% da população brasileira. A segunda dose da vacina, por sua vez, foi aplicada em 2.686.585 pessoas, ou 1,27% da população nacional.

Os dados são do consórcio formado por O GLOBO, Extra, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo e reúne informações das secretarias estaduais de Saúde divulgadas diariamente até as 20h. A iniciativa dos veículos da mídia foi criada a partir de inconsistências nos dados apresentados pelo Ministério da Saúde.

Fonte: Extra.globo