Bolsonaro é retratado como ‘incendiário’ em alegoria no carnaval da Alemanha

Mesmo planejando passar o Carnaval deste ano na residência oficial da Presidência no Guarujá (SP), o presidente Jair Bolsonaro aparecerá, em forma de escultura, no Carnaval da cidade de Colônia, em Köln, no Centro-Oeste da Alemanha.

Uma das alegorias da folia alemã retrata o presidente brasileiro como um “incendiário”: ele aparece identificado por uma bandeira do país enquanto segura um palito de fósforo diante de uma floresta carbonizada — em referência às queimadas na Amazônia no ano passado — e de mulheres, vestidas com trajes carnavalescos, também queimadas. Na interpretação dos artistas da Alemanha, Bolsonaro sorri em meio à situação prejudicial ao meio ambiente e à população.

Responsável pela alegoria e pelo desfile, o diretor Holger Kirsch falou sobre o projeto ao jornal local Kölner Stadt-Anzeiger, conforme registrou o portal da emissora Deutsche Welle. Kirsch contou que o carro é o seu favorito e que ele terá efeitos especiais.

— Nós trabalhamos com verdadeiras sacas de café e ainda instalamos um sistema de tubulação para que fumegue bastante — afirmou o artista.

Alegoria na Alemanha mostra Bolsonaro com um fósforo na mão diante de uma floresta carbonizada e mulheres queimadas
Alegoria na Alemanha mostra Bolsonaro com um fósforo na mão diante de uma floresta carbonizada e mulheres queimadas Foto: Ina Fassbender / STR

As sátiras às personalidades da política mundial são uma característica do Carnaval de Colônia. Além de Bolsonaro, também há este ano críticas bem humoradas aos presidentes dos Estados Unidos, Donald Trump, e da Rússia, Vladimir Putin. A própria primeira-ministra alemã, Angela Merkel, também foi representada.

No Brasil, no carnaval carioca, também há uma expectativa quanto a uma possível sátira de Bolsonaro no desfile da escola de samba São Clemente. Com o enredo “O Conto do Vigário”, a agremiação levará à Marquês de Sapucaí uma série de referências a momentos históricos em que o povo brasileiro é enganado, seja pelas chamadas “fake news” ou pelas promessas da classe política.

O presidente foi convidado por WhatsApp. para assistir ao espetáculo no Sambódromo do Rio esta semana pelo governador, Wilson Witzel.

Fonte: Extra.globo